Reforçar o SNS

O PCP lançou hoje dia 18, a nível nacional a campanha "REFORÇAR O SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE, COMBATER A COVID-19, GARANTIR O REGRESSO À ACTIVIDADE NORMAL.", numa altura em que se regista uma diminuição de casos positivos e um abrandamento da pressão sobre as Unidades do Serviço Nacional de Saúde, é urgente preparar o regresso à actividade normal e recuperar os atrasos verificados noutros planos de saúde. Para o PCP impõe-se concretizar o que no orçamento de Estado foi inscrito por proposta do PCP: Reforço das unidades de saúde pública com mais 500 profissionais; Assegurar a capacidade de internamentos resposta em cuidados intensivos, com a abertura de mais 409 camas e a contratação de mais 47 médicos; Contratação de 935 médicos, 630 enfermeiros, 465 assistentes operacionais para os cuidados de saúde Primários; Mobilização de todos os recursos na esfera pública.

É incompreensível que, com quase um ano do surto pandémico, quase nada tem sido feito para assegurar os cuidados primários de saúde e as consultas de acompanhamento de doentes crónicos como é o caso da diabetes, hipertensão e outros, cujos utentes um pouco por todo o distrito de Aveiro se vêm privados deste serviço.

Como se provou foi, é e será no SNS que os portugueses encontrarão a resposta e o acesso aos cuidados de saúde a que têm direito.

Para o topo