Mais uma vez uma delegação do PCP esteve em contacto com as trabalhadoras da LISIL – Manuel Ferreira Marques. Lda., em Oliveira do Bairro para as incentivar na luta que travam diariamente.

Quanto maior é o volume de trabalho, ainda por cima neste período pré-férias, maior é a pressão exercida sobre estas trabalhadoras, muitas delas com vínculos precários para trabalharem mais e mais, muitas vezes sem dignidade.

Na LISIL o assédio moral e a chantagem têm de acabar. Prova disso é a chantagem sofrida pelas trabalhadoras que mesmo de baixa médica psiquiátrica, por depressão devido ao assédio moral a que estão sujeitas, serem “forçadas” a trabalhar, isto, se quiserem manter o seu posto de trabalho.

É inadmissível que na LISIL onde reina a precariedade e o salário ser o ordenado mínimo, as trabalhadoras tenham de escolher entre a sua saúde mental ou o pão para os seus filhos. Além disso, o salário não tem dia fixo para ser pago, causando grandes transtornos no quotidiano destas trabalhadoras.

Com o encerramento para férias pelo período de 10 dias, agendado para o mês de Agosto, muitas trabalhadoras temem serem chamadas para trabalhar durante esse período, se quiserem manter o posto de trabalho que lhes assegura o pão à mesa

Para o PCP é urgente acabar com a precariedade, é urgente o aumento dos salários, como forma de respeito pelos direitos destas trabalhadoras, mas também, como alavanca para o desenvolvimento social e económico do país.

Por tudo isto o PCP, o partido dos trabalhadores, apela q que estas trabalhadoras se unam em torno do seu sindicato e que lutem pelo trabalho com direitos e por mais salário.

Oliveira do Bairro, 13 de Julho de 2018
A Comissão Concelhia de Oliveira do Bairro do PCP


Para o topo