Decorreu ontem na Torreira a apresentação dos cinco primeiros candidatos da CDU às próximas eleições legislativas de 28 de Setembro. Nesta apresentação onde participaram largas centenas de militantes e simpatizantes da CDU no habitual convívio regional organizado anualmente neste período, marcou presença Jerónimo de Sousa, Secretario Geral do Partido Comunista Português.
 
 
  
 
Num ambiente de grande alegria e confiança, a primeira palavra coube a Joaquim Almeida, mandatário da candidatura que apresentou sucessivamente e do quinto lugar para o primeiro os seguintes candidatos:
 
 
Diogo D'Ávila, estudante e membro da JCP
 
Antero Resende, professor, membro da mesa nacional do PEV
 
Andreia Araújo, técnica administrativa e dirigente sindical
 
Lúcia Gomes, advogada, assessora do Grupo Parlamentar do PCP na A.R.
 
Miguel Viegas, médico veterinário, economista, dirigente regional do PCP.
 
 
Aproveitando a localização desta iniciativa, forma ainda anunciados os cabeças de lista à Câmara Municipal da Murtosa e às Freguesia da Torreira. São eles respectivamente Jorge Vieira, psicólogo a exercer na Escola EB23 c/ Secundária Padre António Morais da Fonseca , e Sandra Marisa Valente, pescadora.
 
Das várias intervenções, (disponíveis em www.cdu.pt) , destaque-se a confiança da eleições de um deputado da CDU pelo distrito de Aveiro. Uma confiança alicerçada no crescimento da influência da CDU particularmente visível nas últimas eleições, mas também na qualidade dos candidatos e no próprio património de intervenção da CDU no distrito de Aveiro ao longo dos últimos 4 anos. Como foi reafirmado ao longo da tarde a CDU representa a única força politica portadora de um verdadeiro projecto alternativo de rotura com estas politicas de direita que levaram o pais a este caos. Um outro aspecto particularmente focado por Jerónimo de Sousa relaciona-se com a tentativa de, mais uma vez, mistificar completamente estas eleições tentando passar a ideia de que está em causa a eleições do primeiro ministro do de um governo. Nada mais falso. Estas eleições destinam a eleger 230 deputados. Daqui resulta que o futuro das politicas que irão ser seguidas no próximo mandato serão consequência da correlação de forças existentes no parlamento. Neste quadro, é óbvio que o peso da CDU será determinante para a rotura que queremos e que o pais necessita. É para isso que todo o colectivo da CDU se irá bater daqui para a frente, numa batalha que é de todos e de cada um e onde naturalmente todos serão chamados a participar activamente.
 
Aveiro, 29 de Junho de 2009 
P´la DORAV do PCP
Para o topo