Realizou-se na Freguesia da Torreira, no dia 5 de Março, a primeira Assembleia da Organização Concelhia da Murtosa do PCP. No decurso desta significativa Assembleia, os comunistas murtosenses discutiram e aprovaran a Resolução Política que abaixo se transcreve.

No encerramento desta Assembleia, que incluiu igualmente um animado jantar e convívio, Tiago Vieira, membro do Comité Central do PCP, numa breve intervenção, saudou e enquadrou esta importante iniciativa no actual contexto político, caracterizado, por um lado, pela extrema degradação da situação económica e social, em consequência do rumo de desastre e empobrecimento que o Governo PSD / CDS teima em prosseguir e, por outro, pela luta e resistência crescentes das mais amplas camadas a essa despudorada ofensiva.

Tal rumo só será possível travar e inverter com uma política patriótica e de esquerda, desde há muito defendida pelo PCP. No preciso momento em que se comemoram os 94 anos do PCP, como salientou o dirigente comunista, apesar de todos os silenciamentos e discriminações na comunicação social dominante, o Partido orgulha-se da sua história e da luta heróica em defesa dos trabalhadores e do povo português e por uma sociedade mais justa, sem explorados nem exploradores.

Murtosa, 7 de Março, de 2015

Comissão Concelhia da Murtosa do PCP

 

 
PCP

I ASSEMBLEIA DA ORGANIZAÇÃO DA MURTOSA

5 de Março 2015

Resolução política

Enquadramento e objectivos da I Assembleia.

 

Consequência directa das políticas recessivas dos últimos governos que o Pacto de agressão, subscrito por PS, PSD e PSD com a troika estrangeira, só veio aprofundar, estamos perante uma profunda crise social e económica no país que não se consegue iludir – mais desemprego, precariedade, pobreza e exclusão social.

O Concelho da Murtosa não foge à regra. São aqui particularmente evidentes os efeitos desse rumo de empobrecimento e aumento das desigualdades sociais. Para mais, num Município pouco industrializado e sem outras alternativas sólidas de subsistência, agravam-se todos os problemas daí decorrentes: crescente desestruturação social; alcoolismo; toxicodependência; violência doméstica, entre muitos outros. Que atingem aqui de forma particular os pescadores e agricultores, confrontados com a política de destruição da produção nacional e de submissão às grandes cadeias de distribuição. Mas que se generalizam igualmente a outras camadas da população, classe média e reformados, devido à sucessão de cortes nos salários e dos aumentos nos impostos. O recente encerramento da Colónia de Férias da Torreira, cujo papel relevante na área social fica assim anulado, representa mais uma enorme perda, com forte impacto negativo.

Mas, infelizmente, não é só no campo económico e social que o Concelho enfrenta graves dificuldades. Outro tanto se passa com as infra-estruturas básicas, essenciais para elevar a qualidade de vida dos Murtosenses. Independentemente de alguns avanços e melhorias registadas, a verdade é que continuamos a carecer de uma rede de transportes públicos em condições, bem como acessibilidades condignas tanto dentro do Concelho como para fora dele. O fecho recente da Agência da Torreira da Caixa Geral de Depósitos constitui mais um sério prejuízo para a sua população e o comércio local. O mesmo se pode dizer do deficit em equipamentos e iniciativas de desporto e culturais, sobretudo para a juventude, que possa proporcionar uma saudável ocupação dos seus tempos livres.

Todas estas questões têm sido objecto da nossa intervenção e denúncia periódica. No entanto, temos consciência que, dada a gravidade e extensão desses problemas, torna-se imperioso o reforço quer da acção pública do PCP no próprio Concelho, quer da sua própria organização interna.

É pois com esse objectivo que vamos levar a cabo, pela primeira vez, a Assembleia de Organização Concelhia e para a qual propomos as seguintes medidas:

a)- Eleger a nova Comissão Concelhia, na base dos principais quadros, procurando manter um funcionamento mais regular.

b)-Fazer esforços para recrutar para o Partido no Concelho novos membros, em especial jovens e mulheres.

c)-Dinamizar aqui a acção política do PCP e da CDU, tendo em conta as próximas eleições legislativas, pelas mais variadas formas: comunicados, notas de imprensa e boletins sobre os assuntos mais sentidos pela sua população, bem como sessões temáticas e convívios.

d)-Promover a mobilização da população do Concelho em geral e dos sectores específicos na luta em defesa dos seus direitos e interesses legítimos, mas igualmente em prol de uma outra política patriótica e de esquerda.

 

NÃO AO DECLÍNIO NACIONAL! SOLUÇÕES PARA O PAÍS!

 

Para o topo