Na sequência de um protesto de trabalhadores do INEM em Espinho, veio a público a intenção do INEM de dar a ambulância que faz serviço no nosso concelho aos Bombeiros.

Sendo muito nobre o princípio de apoiar mais o importantíssimo trabalho dos bombeiros – confrontados com falta de meios, por via da errada política de direita de PS, PSD e CDS, há anos –, esta é, porém, uma decisão profundamente inconsequente, errada e de difícil explicação lógica.

É bom lembrar que foi há precisamente 10 anos que Espinho recebeu uma ambulância como “moeda de troca” pelo fecho da urgência. Como oportunamente o PCP denunciou, e a vida se tem encarregado de demonstrar, esta era apenas uma manobra para esconder um autêntico crime contra o concelho e a sua população.

O desprezo a que Espinho foi votado pela estratégia concentracionista e economicista dos sucessivos Governos PS, PSD, CDS fica bem evidente no facto de, aquando da visita da deputada do PCP Diana Ferreira, há cerca de um ano ao Hospital de Espinho, um membro do seu Conselho de Administração reconhecer que não havia sequer uma estatística sobre o trabalho da ambulância agora prestes a ser alienada.

Manifestando a sua solidariedade com os trabalhadores em luta e os populares que se lhe juntaram, o PCP sublinha que ainda recentemente foram entregues 10.000 assinaturas na Assembleia da República para que fosse reaberta a urgência do concelho de Espinho, pelo que é claro que o que se exige é que haja mais meios móveis (e não a sua passagem para outras mãos) e a efectiva reabertura da urgência, não a marcha em sentido contrário!

Espinho, 19 de Abril de 2017
A Comissão Concelhia de Espinho do PCP

 

 


Para o topo