Mário Sacramento nasceu em Ílhavo a 7 de Julho 1920 , para assinalar o início das comemorações do centenário do seu nascimento, a DORAV do PCP organizou no passado dia 14 de Junho, na Junta de Freguesia de S. Salvador em Ílhavo, sua terra natal, uma Sessão Evocativa, que contou com a presença de Mafalda Guerreiro do Comité Central do PCP e responsável pela DORAV, de Octávio Augusto da Comissão Política do PCP e ainda com Jorge Seabra médico e militante do Partido Comunista Português.

Jorge Seabra, que privou com Mário Sacramento, na sua intervenção deu-nos a conhecer o homem, o médico, o resistente anti-fascista que foi Mário Sacramento.

Jorge Seabra no início da sua intervenção referiu as «últimas e icónicas palavras da sua Carta-testamento deixada, numa meia-idade quando ainda poucos pensam na sua finitude, aos mais adiados», afinal, a todos nós.

Palavras simples e sempre citadas por resumirem a riqueza e a complexidade de uma vivência excepcional, sintetizando o mais profundo dos seus desígnios, embebidas pelo altruísmo e sentido humanista, com o toque de humor que lhe era tão próprio:

«Façam o mundo melhor, ouviram! Não me façam voltar cá!».

Nessa luta por um mundo melhor, Mário Sacramento, militante comunista, foi também censurado, perseguido, preso, torturado, sofrendo a perseguição brutal que a Ditadura lhe moveu.

«Nasci e vivi num mundo de inferno. Há dezenas de anos que sofro, na minha carne e no meu espírito, o fascismo. Recebi dele perseguições de toda a ordem – físicas, económicas, profissionais, intelectuais, morais. Mas, que as não tivesse sofrido, o meu dever era combatê-lo (…) Fiz o que me foi possível para me libertar, e aos outros, dele. É essa a única herança que deixo aos meus Filhos e aos meus Companheiros. Acabem a obra! Derrubem o fascismo, se nós não o pudermos fazer antes! Instaurem uma sociedade humana! Promovam o socialismo, mas promovam-no cientificamente, sem dogmatismos sectários, sem radicalismos pequeno-burgueses! Aprendam com os erros do passado! E lembrem-se que nós, os mortos, iremos nisso ao vosso lado!» (Carta- Testamento, Abril, 1967).

Depois da intervenção de Jorge Seabra, vários amigos e conhecidos que se encontravam nesta sessão com cerca de quatro dezenas de participantes, quiseram também deixar o seu testemunho.

As comemorações do centenário de Mário sacramento prolongar-se-ão até final de 2020, ano do centenário do seu nascimento.

 

O Gabinete de Imprensa da DORAV do PCP
Aveiro, 24 de Junho de 2019

 

 

Para o topo