Na manhã de dia 29 de Junho, uma delegação do PCP juntou-se ao protesto das trabalhadoras da FERLIMPA, concentradas à porta do Hospital Infante D. Pedro (Hospital de Aveiro), instituição onde asseguram o serviço de limpeza.

Ficou bem patente nesta concentração que não faltam razões para a indignação das trabalhadoras. Dos salários pagos fora de tempo, ao incumprimento do contrato colectivo, passando pelos episódios de repressão e assédio, sem esquecer o exercício de funções que não são de limpeza (como jardinagem!) e a insalubridade para trabalhadores e utentes do Hospital que significa a circulação por jardins exteriores e áreas reservadas a doentes de risco sem qualquer alteração de uniforme, tudo acontece no quotidiano destas trabalhadoras.

No entender do PCP, esta é uma situação duplamente grave. Primeiro, porque se trata de uma conduta completamente ao arrepio das leis, o que agrava ainda mais a situação de exploração destas trabalhadoras já tão fustigadas por um trabalho duro por um salário tão baixo. Segundo, e não menos grave, porque tudo isto ocorre no interior de uma instituição pública e, ainda por cima, com as especificidades de um hospital!

Assim, em solidariedade com as trabalhadoras em luta, o PCP exige uma intervenção pronta das autoridades competentes na matéria e, em particular, do Conselho de Administração do CHBV com vista à defesa da reposição da legalidade dentro das suas portas.

Para o PCP esta luta é de enorme valor e é inseparável da luta mais geral dos trabalhadores por melhores condições de trabalho e aumento generalizado dos salários, pelo que merece todo o apoio dos comunistas e de todos os democratas que aspirem a País mais justo e desenvolvido!

Aveiro, 29 de Junho de 2018
O Gabinete de Imprensa da DORAV do PCP

 


Para o topo