Concentração dos trabalhadores das Águas Centro Litoral

Demonstrando solidariedade pelas justas reivindicações dos trabalhadores, uma delegação do PCP esteve hoje nas concentrações dos trabalhadores em greve do Grupo Águas de Portugal, Águas da Região de Aveiro e Águas do Centro Litoral.

Estes trabalhadores têm os seus salários congelados desde 2009, as restrições remuneratórias impostas por sucessivos orçamentos de Estado para os trabalhadores do sector público que incluem as empresas do grupo Águas de Portugal, conduziram à significativa redução dos salários.

A pretexto da crise, do défice e da dívida pública, sucessivos governos PSD/CDS e PS, congelaram os salários no sector e negaram o direito a uma progressão na carreira.

De salientar que entre 2010 e 2016, os lucros deste grupo empresarial ascenderam a cerca de 500 milhões de euros.

Para além da justa reivindicação dos aumentos salariais, estes trabalhadores reivindicam igualmente a regularização dos vínculos precários de todos os trabalhadores que ocupam um posto de trabalho permanente, a fixação do período normal de trabalho em 7 horas diárias e 35 horas semanais, exigem o exercício efectivo do direito de negociação e contratação colectiva.

O PCP estando solidário com esta luta, demonstrou disponibilidade para fazer todo o que estiver ao seu alcance para que estas reivindicações sejam uma realidade.


Para o topo